segunda-feira, 10 de março de 2014

Birra: antes de perder a paciência com a criança, entenda esse mistério

Oi mamãe e papai!

O comportamento gerado pela birra tem explicação simples, apesar das complicações.

Criança com birra
Comportamento tem explicações simples, apesar das complicações causadas
Uma infeliz unanimidade para os pais, a birra existe desde que criança é criança. Um dos maiores mistérios na relação entre adultos e bebês, encontrar a causa para o momento irritadiço dos pequenos é um trabalhão.
Até descobrir que pode ser a mínima das coisas, como a pontinha de uma etiqueta na roupa incomodando, um dentinho a nascer, sede, fome, cansaço, dor... Haja! Até que a criança aprenda a falar e tenha a 'bondade' de explicar os motivos para o mau-humor, é uma quase eterna busca por um indício, que seja.
A crise de irritabilidade pode ter três causas, que, óbvio, desmembram-se em outras razões: medo, raiva, ou inquietude por achar que vai se separar da mãe, mesmo que temporariamente (coisa que ele não tem noção, ainda). Tudo isso, na verdade, é uma espécie de alerta que nós, enquanto animais, temos para nos preparar para situações como estar sozinhos, passíveis de perigos.
Não tem jeito, ou tem. O mais indicado nesses ataques de irritação não é o afago ou a complascência, mas sim, fazer com que a criança se movimente, concentre energia em outras atividades. Não é linda a carinha de curiosidade de um bebê com um objeto novo, mesmo depois daquele chororô?
Isso tudo é científico, pois há uma substituição de hormônios, deixando de serem produzidos os que contribuem para o estresse, e iniciando a liberação de substâncias relacionadas ao bem-estar. Mágico, não?, apesar das complicações causadasO comportamento gerado pela birra tem explicação simples, apesar das complicações.
Uma infeliz unanimidade para os pais, a birra existe desde que criança é criança. Um dos maiores mistérios na relação entre adultos e bebês, encontrar a causa para o momento irritadiço dos pequenos é um trabalhão.
Até descobrir que pode ser a mínima das coisas, como a pontinha de uma etiqueta na roupa incomodando, um dentinho a nascer, sede, fome, cansaço, dor... Haja! Até que a criança aprenda a falar e tenha a 'bondade' de explicar os motivos para o mau-humor, é uma quase eterna busca por um indício, que seja.

A crise de irritabilidade pode ter três causas, que, óbvio, desmembram-se em outras razões: medo, raiva, ou inquietude por achar que vai se separar da mãe, mesmo que temporariamente (coisa que ele não tem noção, ainda). Tudo isso, na verdade, é uma espécie de alerta que nós, enquanto animais, temos para nos preparar para situações como estar sozinhos, passíveis de perigos.


Não tem jeito, ou tem. O mais indicado nesses ataques de irritação não é o afago ou a complacência, mas sim, fazer com que a criança se movimente, concentre energia em outras atividades. Não é linda a carinha de curiosidade de um bebê com um objeto novo, mesmo depois daquele chororô?


Isso tudo é científico, pois há uma substituição de hormônios, deixando de serem produzidos os que contribuem para o estresse, e iniciando a liberação de substâncias relacionadas ao bem-estar. Mágico, não?

Matéria: Absoluta S.A

Beijinhos!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Siga o Instagram

Flickr