segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Prisão de Ventre Infantil, sem sofrimento

Oi mamãe e papai!

Hoje resolvi compartilhar com vocês, minha experiencia de mãe em relação a dificuldade de minha filha em fazer "cocô".
Desde bebê minha filhota sofre com prisão de ventre, a pediatra mandou eu introduzir na alimentação dela frutas tipo, laranja, mamão e ameixa, mas nada resolvia.
Ela chorava muito para fazer cocô, sofria mesmo, e eu sofria junto, como mãe me sentia impotente pois, não conseguia resolver aquela situação.


Crianças saude-oque oque infantil
Prisão de Ventre Infantil
Minha filha passava até uma semana sem fazer "cocô" e eu tentava de tudo. Consultamos com outra pediatra e ela receitou um remédio, acredito que minha filha esta muito pequena para tomar "remédios" e falei que se não tivesse realmente outro jeito eu compraria. 
Tentando ainda evitar medicação, resolvi comprar laranja, ameixas e espinafre que ela ama comer, pensei em fazer sucos, já que as frutas ela gosta e ainda não tinha feito uma "misturada" de sucos.
Passando pela seção de produtos naturais e peguei um pacote de farinha de banana verde e outro pacote de farinha de gergelim com linhaça pois, tinha visto em algum lugar que estes alimentos eram bons para o intestino e acabei comprando pra fazer um teste.


prisão de ventre infantil-meu bebe esta com prisão de ventre o que fazer
Farinha de gergelim e linhaça/ Farinha de banana verde 


Comecei a colocar um pouquinho das duas farinhas no almoço de Aninha e no meu também, acreditem, o intestino dela, esta funcionando direitinho.
Todos os dias ela vem fazendo suas necessidades fisiológicas, e o melhor não tem mais gritaria e nem choro.
Voltamos na pediatra e ela perguntou se eu dei o remédio, respondi que ainda não, falei pra ela da experiencia que estava fazendo com as duas farinhas, ela perguntou se a Aninha estava fazendo "cocô" direitinho e eu disse que sim, ela então disse pra eu continuar.
Minha filha agora, esta até dormindo melhor, não segura mais a vontade de fazer cocô, e o melhor, não notou diferença no sabor da comida.
E eu como mãe, me sinto uma vitoriosa por ter conseguido ajudar minha filha a sair deste problema. Rsrsss

Por hoje é só pessoal.
E vocês já passaram por situações semelhantes com seus filhos?
Até a próxima.


Beijinhos! 

Veja também: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Siga o Instagram

Flickr