quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

SEXO NA GESTAÇÃO

O sexo durante a gestação é permitido, desde que não haja contraindicação do médico obstetra e a mulher se sinta confortável para ter relações sexuais. O contato íntimo não machuca o bebê, que está abrigado dentro do útero.

SEXO NA GESTAÇÃO, gravidez, gestação,parto, moda infantil, parto, moda gestante, enxoval de bebê

É possível que a criança se mexa ou fique quieta durante o ato, mas esse fator está mais ligado aos hormônios do que ao acontecimento.

A libido da mulher pode mudar durante a gestação. No primeiro trimestre, a vontade pode ser menor devido à ansiedade, à maior percepção de odores, cansaço, enjoos, vômitos e mal-estar. No segundo trimestre, em que as náuseas diminuem e a mulher já teve tempo de se adaptar à nova fase, a libido deve voltar ao normal. No último trimestre, é possível que a vontade volte a cair devido à ansiedade pelo nascimento do bebê.




Acredita-se que praticar sexo durante esse período auxilie a mulher na hora do parto natural, pois a prática exercita os músculos vaginais. O sexo também traz benefícios aos casais que utilizaram tratamentos para engravidar, pois podem parar de se preocupar e apenas desfrutar de bons momentos de intimidade e aproximação, sem pressões.

Prevenção
Se você estiver passando por complicações durante a gestação, o médico provavelmente vai recomendar que você não mantenha relações sexuais. As situações mais comuns são:

História ou ameaça de aborto espontâneo – recomenda-se evitar relações sexuais e manter-se em repouso quando a mulher tem sangramento e/ou sente contrações antes do tempo. A prática sexual pode estimular as contrações;
Pré-eclâmpsia – essa complicação pode envolver riscos de parto prematuro e convulsão, podendo até mesmo necessitar internação;
Placenta prévia – nesse caso, qualquer atividade física não é indicada, pois pode haver parto prematuro e sangramento;
Em alguns casos, o médico pode recomendar que se utilize o preservativo (camisinha), pois o sêmen pode estimular, em algumas mulheres, contrações uterinas.

Convivendo


Além da predisposição feminina e o aval médico para a realização do contato sexual, é necessário que o casal encontre posições confortáveis.

Aqui comentamos algumas das posições mais favoráveis para o ato durante a gestação:

A mulher por cima – Nessa posição, o abdômen não é pressionado e permite um maior controle da mulher quanto ao ritmo e profundidade da penetração.
A mulher embaixo – Deitada sobre as costas, eleve os joelhos o mais perto dos peitos. O parceiro se ajoelha entre as pernas da mulher e a penetra de frente. Uma almofada embaixo dos quadris pode deixá-la mais confortável. É importante o parceiro não colocar peso sobre o abdômen da mulher. Essa posição não é indicada a partir do quarto mês de gravidez, pois o peso pode impedir que o sangue chegue ao útero e outras partes do organismo.
O homem atrás – A mulher deverá se colocar de joelhos e se apoiar com as mãos. Ela pode usar almofadas para apoiar o ventre e o peito. O homem a penetra por trás. Nessa posição, ele controla o ritmo e o grau de penetração. Dessa forma, é recomendável uma comunicação fluente entre o casal para evitar que essa posição seja incômoda ou dolorosa para a mulher.
De lado – Com ambos deitados de lado, o homem fica atrás da mulher (a posição “conchinha”). Essa é, provavelmente, a posição mais confortável, pois o peso é distribuído por igual e a penetração não é profunda.
A melhor posição para o sexo deve ser definida pelo casal.

Fonte: Gineco

NAGRATH, Arun; SINGH, Manjula. Sex during Pregnancy. Progress in Obs and Gyne, p. 156, 2012.

KLINE, Carolyn R.; MARTIN, Diane P.; DEYO, Richard A. Health consequences of pregnancy and childbirth as perceived by women and clinicians. Obstetrics & Gynecology, v. 92, n. 5, p. 842-848, 1998.

SOLBERG, A. Don; BUTLER, Julius; WAGNER, Nathaniel N. Sexual behavior in pregnancy. In: Handbook of Sex Therapy. Springer US, 1978. p. 361-371.

ROBERTS, James M.; REDMAN, C. W. G. Pre-eclampsia: more than pregnancy-induced hypertension. The Lancet, v. 341, n. 8858, p. 1447-1451, 1993.

MARTINELLI, Ida et al. Heparin in pregnant women with previous placenta-mediated pregnancy complications: a prospective, randomized, multicenter, controlled clinical trial. Blood, v. 119, n. 14, p. 3269-3275, 2012.

SOLBERG, A. Don; BUTLER, Julius; WAGNER, Nathaniel N. Sexual behavior in pregnancy. In: Handbook of Sex Therapy. Springer US, 1978. p. 361-371.


Veja também:

Vacina de febre amarela em mães
Descobrir o sexo do bebê
Primeiros sintomas da gravidez

0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atualizações do Instagram

Topo