quinta-feira, 30 de agosto de 2018

Menina de 5 anos fica paralisada após mordida de carrapato e mãe alerta. Veja

Uma garotinha de cinco anos ficou temporariamente paralisada e incapaz de falar por 12 horas após uma picada de carrapato. 
Menina de 5 anos fica paralisada após mordida de carrapato e mãe alerta

A mãe norte-americana Jessica Griffin contou que sua filha Kailyn Kirk caiu da cama quando acordou para ir para a escola, mas até então ela não achou que fosse algo grave.
Mais então, Jessica foi pentear o cabelo da filha e notou que a voz da menina estava estranha. Foi então que ela achou um carrapato no couro cabeludo da filha. “Quando eu vi o carrapato eu fiquei muito assustada. Liguei para o meu marido e ele me mandou colocar o carrapato em um zip lock ir direito para o hospital e foi o que eu fiz”, contou Jessica em entrevista ao jornal britânico Daily Mail.

Ela retirou o carrapato e levou a filha para o hospital. No local os médicos diagnosticaram que a menina estava com paralisia do carrapato. O problema foi causado por uma neurotoxina que fica na saliva do carrapato.
Jessica decidiu contar sua história para alertar outros pais e mães para os riscos do carrapato. Se o carrapato não for descoberto logo isto pode causar problemas respiratórios e em alguns casos até mesmo a morte.

Veja o vídeo 


Os primeiros sintomas da paralisia do carrapato são fadiga, fraqueza nas pernas e dor nos músculos. A paralisia se desenvolve rapidamente começando nas extremidades. Caso o carrapato não seja retirado, ocorre paralisia na língua e face.
Uma vez que o carrapato é retirado, os sintomas costumam passar após 12 e 24 horas. 
“Pais, por favor, fiquem atentos aos carrapatos. É mais comum em crianças do que em adultos e é assustador”, alertou Jessica.
Antes de acordar para ir à escola, a mãe disse que não percebeu nada de errado com Kailyn. “Na noite anterior ela estava perfeitamente bem. Chegamos em casa, tomamos banho, lavamos o cabelo e tudo e eu não vi o carrapato", contou ela ao Mississippi News Now.

No caso de Kailyn, o carrapato foi removido à tempo, mas caso isso não acontecesse, a criança poderia ter sofrido de insuficiência respiratória, o que levaria à morte.

A agência do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês) dos Estados Unidos recomenda o banho dentro de duas horas depois de chegar dentro de casa para ajudar a tirar carrapatos não acoplados e reduzir o risco de contrair doenças.

Paralisia por picada de carrapato

garotinha de 5 anos fica paralisada após mordida de carrapato e mãe alerta

A paralisia que afetou Kailyn é um dos sintomas da doença de Lyme , ou borreliose, como também é chamada. Essa é uma infecção bacteriana comum, transmitida por carrapatos infectados a humanos.

No Brasil, o carrapato-estrela é quem carrega a bactéria que causa a condição. Esses parasitas se alimentam do sangue humano e animal, e suas mordidas, muitas vezes, passam despercebidas - o que pode contribuir para que o inseto permaneça por vários dias devorando o sangue antes de ir embora de seu hospedeiro.

Quanto mais tempo o carrapato é deixado no lugar, maior o risco de transmissão da infecção. No entanto, não há evidências de que a doença seja transmitida de humanos para humanos.

Por ficarem mais próximas ao chão e perto de animais de estimação, as crianças estão mais suscetíveis à doença. Além disso, pessoas que fazem trilha ou outras atividades ao ar livre devem ficar atentas aos perigos da infecção, pois também fazem parte do grupo de risco.

A doença de Lyme pode afetar a pele, as articulações, o coração, sistema nervoso e até levar à morte, se não for tratada.

Sintomas da doença de Lyme

Para identificá-la, o sintoma  mais comum é uma erupção circular rosa ou vermelha ao redor do local da picada. Ela pode se desenvolver de três até 30 dias depois de uma pessoa ser picada. 

Uma pessoa infectada também pode sofrer sintomas semelhantes aos da gripe, incluindo cansaço, dores de cabeça e dores articulares.

Se não tratada, outros sintomas, como dores musculares e paralisia temporária dos músculos, podem se desenvolver meses ou até anos mais tarde.

Nos seus estágios avançados, a doença pode desencadear sintomas semelhantes à fibromialgia ou fadiga crônica.
A maioria das picadas de carrapatos acontece no final da primavera, no início do verão e no outono, épocas em que as pessoas estão mais propensas a sair, fazer caminhadas ou acampar.

Atualmente, não há vacina para prevenir a infecção, portanto, a melhor maneira de evitar a condição é fugir da picada do inseto.

Para isso, os especialistas recomendam que as pessoas que andam em áreas de floresta usem roupas de mangas compridas e calças, usem repelentes e recolham os carrapatos encontrados no corpo, caso isso aconteça.

Caso ele esteja no corpo de alguém, é preciso remover o carrapato.
 O mais indicado é remover o parasita segurando-o, de preferência usando uma pinça com dentes finos, e puxando firmemente da pele. Nunca use uma ponta de cigarro acesa, uma cabeça de fósforo ou óleos para retirar o inseto

Veja também:

Picada de cobra, mãe faz alerta
Mãe monstra

A fruta que matou uma criança
Recomeço, depois de ser abandonada pelo esposo e ficar com os filhos
0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atualizações do Instagram

Topo