Cantinho Infantil da Mamãe
segunda-feira, 12 de novembro de 2018

Mancha mongólica a mancha que aparece que aparece no bumbum do recém-nascido

Esclareça suas dúvidas sobre a mancha mongólica, uma mancha que aparece no bumbum do recém-nascido
mancha-mongolica-bebê-recem-nascido-maternidade-mãe-e-filho-gestação-gravidez-familia-amor-bumbum-de-bebe-filhos-saude

A mancha mongólica é um tipo de marca de nascença que pode ter as cores azul, azul acinzentado, arroxeado ou esverdeado. Essa mancha pode aparecer no nascimento ou nas primeiras semanas de vida do recém-nascido e fica localizada geralmente no bumbum do bebê.

Causas da mancha mongólica

A mancha mongólica está muito ligada a descendência da criança. Ela é comum em bebês que têm como antepassados asiáticos, indígenas, hispânicos e/ou africanos.  Como no Brasil boa parte da população possui ao menos uma dessas origens, as manchas mongólicas são muito comuns entre os bebês brasileiros, de modo que elas afetam entre 40 a 80% dos bebês brasileiros, variando de acordo com a região em que o pequeno nasceu.

A mancha mongólica é grave?

As manchas mongólicas não são cancerígenas e na maioria das vezes não são sinal de nenhum problema de saúde. Caso o bebê apresente muitas manchas ou a mancha cubra uma parte muito grande do corpo do pequeno isto pode ser sinal de algum problema de saúde e neste caso é importante entrar em contato com o médico.

Como é a mancha mongólica

A mancha mongólica geralmente é azul, azul acinzentada, arroxeada ou esverdeada. Esta mancha pode ficar localizada no bumbum, lombar, ombros, costas ou outras partes do corpo do bebê. A textura da mancha mongólica é igual ao restante da pele do bebê e ela costuma ter entre 2 e 8 centímetros de largura. 

A mancha mongólica pode ser semelhante ao roxo que ficamos quando sofremos algum tipo de lesão, por isso é comum que os pais achem que o pequeno sofreu algum tipo de machucado durante o parto ou no hospital ao se depararem com a mancha.

Diagnóstico da mancha mongólica


O médico irá diagnosticar a mancha mongólica com base em um exame físico observando a pele do bebê, demais testes não são necessários. Caso o médico suspeite de algum problema mais grave, outros exames podem ser pedidos.

Tratamento da mancha mongólica

Nenhum tratamento é necessário ou recomendado quando a mancha mongólica é realmente apenas uma marca de nascença. Caso seja algo mais grave, outros tratamentos podem ser necessários, como o uso de laser. A mancha mongólica desaparece naturalmente com o passar dos anos e quando a pessoa atingir a adolescência, a mancha provavelmente já terá sumido.

Fonte:  Biblioteca de Saúde do Governo dos Estados Unidos

Veja também:

Mãe revela que dá banho uma vez por semana em recém-nascido e gera polêmica na Internet

A alegria com a chegada de um bebezinho na família sempre é muito grande. No entanto, na maioria das vezes existem algumas divergências em relação a maneira como proceder com os cuidados dos recém-nascidos. Isso fica muito evidente quando há várias gerações como avós, bisavós e as mamães discutindo algo. 
Assuntos relacionados ao tipo de roupa ou alimentação muitas vezes acabam se tornando uma grande discussão. E quando se trata de um hábito de higiene um tanto incomum, o clima certamente esquenta, pois cada um tem um jeito diferente de pensar e mesmo de tratar o seu filho.
Uma mãe acabou causando a maior polêmica nas redes sociais ao compartilhar um jeito diferente de  (cuidar) higienizar o seu filho. Em um fórum de mães, a mulher escreveu que não dava banho diariamente no seu filho recém-nascido.
bath in baby-recem-nascido-bebê-gravidez-maternidade-gestação-filhos-pai-mãe-bebe-amor-BANHO-em-recém-nascido

“Ele tem 7 semanas. Eu pensei que isso era totalmente normal e bom. Ele é limpo rapidamente (referindo-se ao famoso “banho de gato”) como e quando necessário – certamente diariamente! Mas eu não sinto que ele particularmente precise tomar banho”, escreveu a mãe do bebê.
Inclusive, ela ressaltou que banhar a criança diariamente seria um desperdício de água. A mulher ainda disse que somente se deu conta que alguns bebês tomam banho todos os dias ao ver relatos de mães falando sobre a rotina de dormir (que inclui dar banho na criança).

O relato acabou gerando uma grande discussão na Internet, tendo várias opiniões sobre o assunto. Algumas mulheres até apoiaram, dizendo que o excesso de banho pode fazer com que a pele fique ressecada.

Porém, algumas pessoas ficaram perplexas com a atitude e criticaram a mãe. Algumas acharam um absurdo e frisaram que seria até uma certa crueldade, pois eles ficam suados e muitas vezes com resíduos de leite.

Qual é recomendação?
A Academia Americana de Pediatria para Crianças Saudáveis ​​sugere: “Seu bebê não precisa tomar muito banho se lavar bem a área da fralda durante as trocas. Três vezes por semana durante o primeiro ano pode ser o suficiente".

No Brasil, em geral, os pediatras não têm restrições aos banhos diários. No entanto, existem algumas recomendações. Segundo a pediatra Kerstin Taniguchi Abbage, do Departamento Científico de Dermatologia da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), o banho de um recém-nascido deve durar aproximadamente 10 minutos. 


Deve-se ter cuidado também na hora de tirar a criança do banheiro e levá-la para o quarto. O ideal é retirar o excesso de umidade da cabeça do bebê ainda no banheiro e cobri-la com a toalha. “A passagem de um ambiente aquecido, como o banheiro, para um sem aquecimento, principalmente no inverno e em cidades frias, como as do Sul, podem causar uma perda abrupta de calor, especialmente se pensarmos que a cabeça possui uma superfície relativamente grande se comparada ao corpo do bebê. Então, sim, ele pode se resfriar”, finalizou Kerstin.
Fonte: Revista  Crescer

Veja também:

Cuidando do umbigo do bebê
Cuidados que se deve ter com bebê
Como dar banho em recém nascido
Alguns lenços umedecidos são prejudiciais
Teu filho te escolheu como mãe 
Como ser pai de uma criança com TDAH
domingo, 11 de novembro de 2018

8 coisas que eu gostaria que as pessoas soubessem sobre ser pai de uma criança com TDAH

Veja o relato de um pai com seu filho que tem TDAH ( Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade)

A partir do minuto em que entramos no restaurante com meu filho de 6 anos, eu sabia que estávamos em um momento difícil. O ambiente estava cheio e barulhento. Não era para crianças, e meu filho tem TDAH .
father-pai-filho-a nadar-criança-familia-me nino-maternidade-pai e filho-educação-TDAH

Nós nos sentamos em uma mesa, e em poucos minutos, ele estava mexendo em seu assento. Ele pegou o saleiro e o pimenteiro e começou a brincar com eles, fingindo que eram carros de corrida. Eu continuei tirando, explicando calmamente, mas com firmeza, que eles não eram brinquedos e ele precisava deixá-los na mesa.
Mas no segundo em que me virei para olhar o cardápio, ouvi uma voz aguda de outra mesa. Era uma mãe, repreendendo meu filho por “empurrar” o pimenteiro para o braço da filha dela. Eu imediatamente me senti envergonhado e sob ataque. Eu fiquei tenso, voltei para o meu filho e gritei: - O que você está fazendo? Eu lhe disse para guardar as coisas!
Quando a mãe e alguns outros fregueses me encararam, minha vergonha se uniu a um sentimento familiar de culpa e medo. Eu tive essa experiência antes, e eu continuaria a tê-la muitas vezes novamente. E toda vez que isso acontecia, doía.

Eventualmente, eu percebi algo que tornou um pouco mais fácil de lidar: a maioria das pessoas que julgam fazem isso porque simplesmente não sabem .

Então, aqui está o que eu gostaria que eles entendessem sobre mim, meu filho tem TDAH:
Não é culpa dele que ele se comporte dessa maneira.
O cérebro do meu filho funciona de maneira diferente das outras crianças - é um problema neurológico. Ele não está fazendo essas coisas de propósito. Acredite, se ele pudesse controlar melhor sua impulsividade, hiperatividade, falta de foco e emoções exageradas, ele o faria. Não é divertido lutar com essas coisas.

Não é minha culpa que ele se comporte dessa maneira.
Eu nem sempre posso fazer a coisa certa como pai, mas minha paternidade não é a causa de seus desafios. Sim, eu disciplino ele. E quando ele age, dou-lhe conseqüências. Mas o que funciona com outras crianças muitas vezes não funciona com ele. Ou não funciona o tempo todo. Às vezes me culpo, mesmo não tendo certeza do que estou me culpando.
TDAH é complicado.
Não se trata apenas de estar "hiper" ou não escutar. O que você vê não é nem a metade disso. Ele luta de todas as maneiras que você nem percebe - com coisas que você pode dar como certo em seus próprios filhos. Transformando em lição de casa. Mantendo o controle do tempo. Organizando suas coisas e seus pensamentos. Aplicando o que ele sabe um dia para o que ele precisa fazer no dia seguinte.

Ele não está sendo rude ou desafiador.
Bem, ele pode ser de vez em quando, como qualquer criança. Mas o comportamento que você pode ver como desrespeitoso (para mim ou para outras pessoas) não é realmente isso. Uma vez que meu filho percebe que ele foi prejudicial ou fez outros infelizes, ele se sente péssimo.

Nós dois estamos tentando o máximo que podemos.
Fazemos agendamentos e listas de verificação para tentar manter as coisas no caminho certo. Ele trabalha duro todos os dias para mantê-lo junto na escola, mesmo que isso signifique perdê-lo quando ele chega em casa. Eu trabalho duro para não perder quando ele faz. Isso é cansativo.
Colocar meu filho pequeno em medicação para TDAH não foi fácil.
Ele engasgou a primeira vez que tentou engolir uma pílula. Ele chorou a primeira vez que não conseguiu terminar suas panquecas porque tinha menos apetite pela manhã. Eu também queria chorar. Mas a medicação realmente mudou sua vida. Não é uma escolha de todos, mas foi a escolha da nossa família. Eu só não quero que as pessoas pensem que eu fiz isso de ânimo leve.

Sentir-se julgado piora tudo.
Isso nos isola, quando o que mais precisamos é de apoio.
Ele é muito mais do que o seu TDAH.
Se as pessoas pudessem olhar além dos desafios, elas veriam a pessoa que eu vejo. Ele é engraçado e inteligente. Ele é leal, quase com defeito. Ele se levanta quando cai e tenta novamente. Mais importante, ele tem uma tremenda empatia. E ao contrário de muitas pessoas, ele mostra isso o tempo todo.
Fonte: Understood

Veja também:

Sintomas de leucemia que mais se parecem com anemia
Mãe busca a filha na festa com cinto
Vida de mãe não é fácil 
Frases que não podemos dizer aos filhos

Frases que os pais não devem dizer aos filhos. Confira

Cuidado com o que diz ao seu filho. Tudo o que você diz tem um peso enorme na sua autoestima, na sua forma de ser e estar, nas suas atitudes, etc. Existem frases negativas que jamais os pais devem dizer aos filhos. Devem ser eliminadas do seu repertório porque machucam às crianças.
Frases negativas contra seu filho

Além disso, quando se dizem estas frases diante de outras pessoas, produz-se humilhação e baixa autoestima, e a atitude negativa fica ainda mais reforçada na criança. ofender não é educar.
Primeiro, conhecemos a motivação negativa ou as frases ditas pelos pais aos seus filhos. Ao lado, conheceremos a Atitude promovida nos filhos:
pais-educação-familia-maternidade-paternidade-pais e filhos-educação

MOTIVAÇÃO NEGATIVA - ATITUDE PROMOVIDA

Você é um bagunceiro - A bagunça

Sempre você gosta de chatear - Chatear ainda mais
Assim você não chegará a lugar nenhum - Desamor

Não gosto mais de você - Desamor

Aprenda com o seu irmão - Ciúmes

Vai ficar de castigo - Tristeza, vingança

Sempre você está brigando - Eu gosto de brigar

Fique longe de mim...não quero te ver - Desamor

Você não sabe ficar quieto - Sou nervoso

Você me mata de desgosto - Temor, desamor
Sempre você está brigando - Eu sou assim

Cada dia você se comporta pior - Sou assim, sou mau

Você é um mentiroso - Eu gosto de mentir

Não sei quando vai aprender - Tristeza. Não posso

Você não não me ama – Desamor. Tristeza

Assim você não terá amigos – É verdade

Vou dizer ao papai quando ele chegar – Temor. Tristeza

Se você continuar assim, vou te castigar – Temor

Como evitar ofensas aos filhos

a) Quando se dizem essas frases, diante de outras pessoas se produz humilhação, e a atitude negativa fica mais reforçada.

b) É aconselhável ir usando essas frases cada vez menos.
c) Siga o exercício: Acrescente mais 10 frases, as que se usam em casa, observe-as, e verifique que tipo de atitude pode estar motivando seu filho.
Pablo Garrido
sábado, 10 de novembro de 2018

Garoto de 2 anos perde a vida, após seu pai usar uma compressa de álcool para baixar sua febre

É muito comum que algumas pessoas tenham o hábito de usar o álcool como uma forma de ‘baixar’ a febre de alguém. 
Saiba esse produto precisa ser usado com muita cautela, principalmente se tratando de crianças. O álcool é um produto fortíssimo e seus efeitos nem sempre serão agradáveis. Um caso que aconteceu na China, acabou repercutindo no mundo todo.
Garoto de 2 anos perde a vida, após seu pai usar uma compressa de álcool para baixar sua febre-pai-filho-recem-nascido-bebê-febre infantil

Um garotinho de nome XiaoDong, estava com muita febre, foi quando seu pai teve a ‘brilhante’ ideia de usar uma compressa de álcool para baixar a febre do garoto. Entretanto, o resultado foi uma grande tragédia. 
O bebê tinha apenas dois anos de idade e acabou falecendo por causa da atitude de seu pai. Ao invés do pai do garoto procurar um médico, ele imaginou que poderia resolver esse problema de saúde sozinho.
 É muito importante ressaltar que ninguém deve praticar a automedicação. O cuidado deve ser redobrado quando se trata de crianças. O ideal é que os pais procurem auxílio médico quando algo de errado acontecer.

Compressa com álcool não baixa febre.
Na tentativa de baixar a febre do bebê, o homem colocou compressa de álcool em suas axilas e alguns minutos depois a criança desmaiou. 

O pai do garoto correu com ele para um hospital, mas, infelizmente o garotinho acabou falecendo. Os médicos afirmaram que o que causou a morte do garoto foi a intoxicação pelo metanol. O pai do garoto havia usado um litro de álcool para tentar diminuir a febre do menino.

COMPARTILHE!

Veja também:

Febre amarela, veja as restrições
10 sintomas que os pais nunca devem ignorar 
Bebê prematuro 
Vida de mãe não é fácil

Atualizações do Instagram

Topo